As fraudes em hidrômetros são um problema constante nas cidades brasileiras e Piracicaba não fica fora desse cenário. Qualquer intervenção no equipamento com o objetivo de burlar a medição do real consumo de água no imóvel, é caraterizado crime de furto pelo Código Penal Brasileiro – Artigo 155.

A concessionária Mirante é a responsável pela coleta e tratamento de todo o esgoto gerado em Piracicaba, por meio de uma PPP (Parceria Público- Privada) com o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto). O Semae é quem trata a água e abastece todo o Munícipio, mas é a concessionária que realiza a substituição e fiscalização dos hidrômetros.

“Temos constatado que o volume de fraudes vem aumentando a cada dia na cidade, assim como os boletins de ocorrência por roubo, porque quem frauda o hidrômetro está roubando água”, afirma a coordenadora de Operações e Serviços da concessionária Mirante, Laís Fonseca Gomes.

Ela lembra ainda que, além de ter que responder judicialmente, o fraudador é multado pelo Semae. O valor da multa varia entre R$ 816,00 (imóveis residenciais), R$ 1.891,60 (imóveis comerciais) e R$ 2.085,20 (imóveis industriais). Em casos de reincidência, podem chegar a R$ 10.426,00.

Além de toda questão legal, existe ainda um risco bastante importante: a contaminação da água. Infelizmente as fraudes são encontradas em imóveis de todas as classes sociais, em diversos bairros da cidade.

“As pessoas desconhecem a gravidade de intervir no hidrômetro, ou pensam que a multa é baixa e vale o risco. Por isso é importante que entendam que estão infringindo uma lei e terão que responder por isso”, finaliza Laís.

 

 

Share Button