Fruto dos investimentos feitos pela concessionária Mirante nos últimos nove anos, Piracicaba vai na contramão da triste realidade dos inúmeros municípios brasileiros que não investiram em saneamento básico. Enquanto o país registra aumento nas internações por doenças de veiculação hídrica, em Piracicaba os números de internação por doenças diarreicas caíram 93% nos últimos anos, segundo dados do Datasus, portal do Ministério da Saúde que acompanha os registros de internações, óbitos e outras ocorrências relacionadas à saúde da população brasileira.

Segundo um novo estudo do Instituto Trata Brasil, ao contrário de Piracicaba, a situação é diferente em grande parte do Brasil. O estudo ‘Saneamento e Doenças de veiculação Hídrica – ano base 2019’, divulgado essa semana, mostra que é bastante preocupante a relação entre falta de saneamento básico x doenças de veiculação hídrica no país. O estudo foi feito a partir de dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) e do Datasus. Em 2019, por exemplo, houve um aumento de 30 mil internações em comparação com o ano anterior no país.

Em Piracicaba, a concessionária mudou a realidade da população com investimentos em obras que garantiram a universalização do saneamento, o que coloca o município como destaque nacional em rankings como o da ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental) e do próprio Trata Brasil. Todas as ações da concessionária têm como foco a qualidade de vida da população.

A concessionária vai muito além de prestar um ótimo serviço em saneamento básico. A área de Responsabilidade Social tem forte atuação com o propósito de manter a conexão com a população e deixar um legado de desenvolvimento para o município. Os projetos e programas desenvolvidos fortalecem o diálogo com lideranças comunitárias, além de engajar os colaboradores da concessionária. “Estabelecemos uma relação de interação com os clientes e a sociedade, principalmente a população vulnerável, para além das transações do serviço”, diz a diretora presidente da Mirante, Silvia Letícia Tesseroli.

“Vale destacar ainda as atividades de mobilização e organização comunitária, de geração de trabalho e renda, e de educação sanitária e ambiental, levando às comunidades a importância do abastecimento de água tratada em suas residências, coleta e o tratamento de esgoto para o meio ambiente urbano, para a saúde pública e melhoria da qualidade de vida”, conclui Silvia.

 

Share Button